15 de Março: maranhenses dizem não às reformas de Michel Temer


Trabalhadores e trabalhadoras saíram às ruas na manhã chuvosa desta quarta-feira (15), para participar dos Atos de Mobilização contra as reformas trabalhista, da previdência e em defesa da educação e de direitos e garantias sociais. O Ato, convocado pelo Fórum Maranhense em Defesa da Previdência Social, pela CTB-MA e demais centrais sindicais, aconteceu na Praça Deodoro, na capiítal São Luís, e seguiu em caminhada pela Rua Grande até o prédio sede do INSS, no Parque Bom Menino, onde foi realizado grande ato político.
A dirigente nacional da CTB-MA, Hildinete Rocha, ressaltou que a classe trabalhadora deve se manter unificada para defender os direitos adquiridos em face dos ataques do governo Temer. "Só a nossa luta, unidade e força podem barrar os ataques e o sucateamento da Previdência Social, que é um patrimônio do povo brasileiro. Os trabalhadores e trabalhadoras desse país precisam se sensibilizar e reforçar a luta", disse de cima de um carro de som.
A manifestação teve participação de diversas categorias de trabalhadores, como: rodoviários que realizaram operação tartaruga; correios; hoteleiros; metalúrgicos; panificação; rurais; trabalhadores da educação estadual e municipal de São Luís; trabalhadores em educação da Universidade Federal do Maranhão; vigilantes; agentes e inspetores penitenciários, dentre outras. Diversos movimentos sociais também estiveram presentes, como a União Nacional de Negros (Unegro) e União Nacional dos Estudantes (UNE).O Partido Comunista do Brasil (PCdoB) também marcou presença no ato.
Os professores iniciaram hoje (15), uma greve geral que atinge os docentes em todo o país. As Centrais Sindicais tentam construir uma greve geral de trabalhadores de todas as categorias para enfrentar as ameaças do governo. Na manifestação desta quarta, os trabalhadores mostraram – mais uma vez - o posicionamento contrário à aprovação das reformas.
Entenda:
Hoje não há idade mínima para aposentadoria por tempo de contribuição. Os brasileiros se aposentam, em média, com 55 anos. Para receber a aposentadoria integral é preciso atingir a fórmula 85/95 (soma da idade e tempo de contribuição). A fórmula é simples e constitui-se da seguinte maneira: para atingir o tempo para a aposentadoria, basta somar o tempo mínimo de contribuição com a idade (30 anos mulher e 35 homem).
Se aprovada, a PEC 287 vai aumentar o tempo de contribuição dos trabalhadores. Os homens que contribuem com 35 anos, passarão a ter de mais 14 anos de trabalho, que totalizam 49. A medida é mais injusta, ainda, com as mulheres, que hoje precisam contribuir 30 anos com o sistema, mas com a nova lei, trabalharão mais 19 anos caso queiram ter aposentadoria integral.
Outra diferença é que, atualmente, quem contribui um período de 15 anos, já tem direito a uma aposentadoria proporcional; com a PEC 287, esse tempo aumenta em 10 anos, ou seja, para começar a ter direito, só com um mínimo de 25 anos de trabalho e contribuição.
Márcio Rodrigo - CTB-MA
COMPARTILHAR:

+1

0 Comentario "15 de Março: maranhenses dizem não às reformas de Michel Temer"

Postar um comentário

A Construção de uma NOVA CENTRAL SINDICAL DE TRABALHADORES – NCST foi forjada na unidade, coragem e ousadia, capaz de propor uma alternativa de luta para os trabalhadores e trabalhadoras do Brasil.
NCST-MA - Presidente: Raimundo Henrique da Silva Endereço: Av. Senador João Pedro, Casa do Trabalhador Sindicalizado-Sl 01 - Centro | 65025-150 Telefone: (98) 3221-3679 E-mail: ncst-ma@hotmail.com

Receba atualizações por e-mail